Quando nasci, um pimparo de asas amarelas veio comigo
Por certo, ninguém o percebeu
Eu também  o soube um bom tempo depois
Ele voa sobre o denso
a floresta impenetrável, ameaçadora, misteriosa,
e sob um céu com seus musicistas compondo rapsódias pelo sem fim.

*( ainda sobre ter asas )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: