Lá onde o mato seco e a poeira faminta deitaram sua albarda, ouvi uma voz longínqua e conhecida.
Era ela.
A criança que mora em mim acordara.
Afinal, estávamos em casa.
A casa de infância, mesmo recoberta pela escuridão é prontamente reconhecida.

Imagem: The Artist’s Garden at Vetheuil, Monet-Kid’s

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: