Um estranho sentimento me visitou quando depois de terminar a leitura do longo prefácio cheguei à página onde finalmente inicia-se o livro -, que entre aspectos socioculturais narra a epopeia e o drama de Odisseu. Percebi um súbito sentimento de deferência.
O silêncio roubou o ar.
Pequena diante de um pórtico cujos fabulosos portões estivessem prestes a se abrir. Lá dentro algo pulsa enevoado pela densa neblina sagrada e ancestral.
Uma bíblia grega. A poesia das poesias. A saga de todos nós
(Odysseus)numa jornada para nostos *( palavra grega – que significa voltar para casa/prefixo de nostalgia) trazendo consigo seus muitos nascimentos e mortes.
Transformar-se.
Ser.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: