Um macaron rosa para Léo – meu Gepeto.

Scroll down to content

Ele cuidava. Aquilo que só o pode fazer quem é grato ao amanhecer.
Ao anoitecer.
Ao vento que acaricia as flores do Ipê branco.
Léo carregava seu tanchim vermelho cheio de pequenas ferramentas no bolso, e quando encontrava algo que ameaçava desfalecer, logo ia lhe ressuscitando a vida.
Uma porta, um armário, uma escrivaninha, um relógio eram, sempre, socorridos antes que fossem apanhados pela inexistência. Tão capaz de consertar o estragado me ensinou o caminho da esperança.

(extraído do Caderno – Cenas órfãs que renascem poesia)

(Imagem -livros irradiantes- Gepeto)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: