Kerouac me apresentou a Allan Ginsberg. Outro beat, hipster.
Por agora diria que me entendi melhor com Allan e sua fala úmida de seiva de alma. Estou com ele no Greystone Park Psychiatric Hospital – entre as paredes cinzas, as pessoas cinzas, o sol cinza e Naomi. Sua mãe cinza.
Em Kaddish – a poesia que traz o sol amarelo vermelho – ele a vê e isso basta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: