A noção da existência da mente

Scroll down to content

Aos oito anos mais ou menos assisti a um filme que se chamava Meu filho meu mundo.
Nunca me esqueci dele .
Na sala de casa entre vitrais coloridos a TV ocupava o centro do aparador de madeira escura.
A memória o guarda entre as cores que escorriam das vidraças floridas.
Pais de uma criança autista procuravam tratamento para ajudá-la.
Apesar da minha meninice não tirei os olhos da tela.
Naquela mesma sala em que vivenciei tantas outras descobertas distingo essa tarde por sua mornidão envolvente e íntima. Encontrei algo meu naquela história.
A percepção da interioridade e do mistério. Certa compreensão de que havia sombras dentro das gentes . Lugares inacessíveis. E a certeza de que esse oculto fazia morada em algum lugar que eu suspeitava chamar-se psique . Essa palavra – psique – também era uma aproximação intuitiva. Não estava talhada de compreensões ou significações. Assim como o beija-flor encontra o néctar eu era atraída pelo véu cintilante de Psiquê. Uma compreensão herdada ? Uma noção instintiva ?
Um reencontro ? Um eu em mim que conhecia o que não sabia que conhecia ?
A psiquê era admitida por mim como uma presença por trás das faces , das portas , das matérias , dos olhares , das lacunas , das loucuras , das gentes , das fumaças de nicotina , de mim mesma .
Amei a vida por sabê-la .
Achei-a de uma beleza estonteante .
Tratei-a como coisa sagrada.
A literatura – outra companheira precoce me deixava ver a existência da psiquê por trás de tudo .
Aos meus olhos meninos um universo secreto e profundo movimentava-se em cômodos , em sótãos , em diálogos , em tragédias , em acasos , em infinitas , infinitas coisas .
Conta minha mãe que depois de assistir ao filme disse a ela –
“ vou ser psicóloga .”
Foi então cerca de dez anos depois , aos 18 anos ,
já na faculdade que me encontrei
com Freud e a Psicanálise .
Psiquê até então exilada na inconsciência
tomou definitivamente seu lugar em mim .
Um lugar sagrado em que as sombras se misturam às luzes nascidas dos vitrais coloridos da infância.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: