Na roça tem um vento que nunca senti noutro lugar .
Deve ser assim porque vive em paz , espreguiçando-se por onde desejar. Contam que ele nasce quando as ninfas dos vales dançam e esvoaçam suas vestes transparentes.
Traz sentimentos sortidos a depender do dia da semana e da cor do céu .
Nos domingos de verão pela manhã num céu quase sem nuvens ele assobia I will Survive de Glória Gaynor
As asas se lembram de existir.
Quase é possível voar .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: