Microcontos

Le quattro Stagione

A celeuma familiar encontrou a paz – na beira do rio Estige . Em vida , não foi possível . Não conseguiram -pai, mãe , filhos – valsarem plenos, soltos , inteiros , ao som de Vivaldi . Le quattro Stagione .A verdade -flama da alma- descansou no  inaudível .

 

 

Salvamento

Na mesa ao lado a mulher bege adoçava o café às colheradas de monotonia .

Salvar-se –ia de ter esse  pálido destino. Era feita de notas intensas de guitarra , tambores – paixão . Uma banda adormecida a habitava. Olhou e reconheceu que a banda tocava nele. Entregou-se.

 

 

DESPEDIDA

 

Sentado na alvenaria ,as veias azuis noite engoliam-lhe a mão.

A vida asilada nas fotos em preto e branco.

Viveram no longe tempo da palavra dada no fio do bigode.

O olhar se finava  ,opaco . Iria também  .

 

 

PERDOAR

 

Foi  quando vi a criança sobrevivente nele , naquele adulto esculpido em vincos .

Meu coração desembruteceu .

 

Léo e Hedy 

 

As camas barrocas dormiam separadas , mas as mãos anoiteciam  e amanheciam leais. Agora estava a sós . Algo abrupto a esmagou  , não conhecia o que era respirar com os próprios pulmões .Desconhecia a foice da inexistência .

%d blogueiros gostam disto: